-

Parceiros e convênios Sinconsete
SINCONSETE
SINCONSETE
SINCONSETE

 


Coronavírus: inquilinos já tentam negociar suspensão e descontos no pagamento de aluguéis

25/03/2020



   

Os impactos econômicos do coronavírus chegaram ao mercado de aluguéis de imóveis, que vem sofrendo principalmente com o fechamento de estabelecimentos comerciais e os efeitos na renda dos trabalhadores informais e autônomos.

Administradoras já notaram um aumento na busca por negociação, por parte dos inquilinos, para tentar conseguir descontos e até a suspensão do pagamento nos próximos meses. A recomendação, segundo especialistas, é buscar acordos e evitar a judicialização neste momento.

André Moreira, diretor da Martinelli Imóveis, conta que normalmente os índices de inadimplência nos aluguéis ficam em torno de 10%. A expectativa é que, no próximo mês, esse percentual chegue a 30%.

— Até agora, recebemos duas ligações de inquilinos propondo uma negociação. Um deles é um cliente que não está conseguindo trabalhar e perguntou se existia a possibilidade de suspender a locação agora e pagar depois que a epidemia passar, dividindo o valor nos meses seguintes. O outro tem um comércio de rua e pediu para o locador propor uma solução. Em ambos os casos os proprietários pareceram bastante inclinados a negociar. É um momento bastante delicado, e estamos incentivando os acordos — disse.

— A gente insiste muito para que o proprietário negocie, porque ele não vai conseguir outro locatário neste momento. Mas é importante que os dois lados estejam dispostos a ouvir e chegar a um acordo que funcione para todos — ressaltou.

Para Luiz Barreto,  o proprietário de imóveis comerciais costuma ter uma margem maior de negociação, o que facilita o acordo.

— Ficamos surpresos porque as pessoas começaram a nos procurar rapidamente. Esperávamos que o comércio ligasse na hora, como academias e restaurantes, mas tivemos uma procura também de locatários residenciais. No caso dos comerciais, a aceitação dos proprietários em relação às negociações foi enorme, em parte porque o investidor de imóveis comerciais é mais empresário, está mais preparado para esses momentos. No caso dos residenciais é mais difícil, há muitos proprietários que dependem daquela renda para viver — explicou.

Apesar disso, Barreto aconselha que os locadores de imóveis residenciais também tentem fechar acordos:

— As corretoras não estão nem mostrando apartamentos por causa do coronavírus. Se o locatário sair, o imóvel vai ficar vazio, e vai ser pior. É possível negociar para que o inquilino pague ao menos o condomínio e o IPTU, e dessa forma o dono não tenha despesas. O governo está adotando uma linha de postergar pagamentos, como FGTS e tributos, e estamos sugerindo que os proprietários façam a mesma coisa.

Economista-chefe da Fecomércio-RJ, João Gomes ressalta que o aluguel representa um custo significativo para o comerciante e que, mesmo com as medidas de auxílio do governo, é importante que se busque postergar os gastos que forem possíveis.

— Os governos têm anunciado medidas de auxílio ao empresariado, como postergação de impostos e concessão de crédito, para deixar o fluxo financeiro o menos prejudicado possível. Mas algumas despesas não têm como ser adiadas, como o pagamento dos funcionários, que o governo anunciou que poderia ser suspenso por quatro meses, mas depois voltou atrás. Então, com relação ao aluguel, é importante buscar uma negociação. Não é uma questão de inadimplência, é um ponto fora da curva — avaliou.

Do ponto de vista legal, Fatima Santoro, coordenadora da pós-graduação de Direito Imobiliário da UVA, afirma que a Lei do Inquilinato prevê que as partes poderão acordar a qualquer momento, sobre o que for necessário.

— A linha de ação mais indicada aqui é o acordo, seja em relação a uma redução do valor ou para postergar o pagamento para daqui a três ou quatro meses, que é quanto tempo essa crise ainda deve durar. Essa situação gerou um efeito dominó, em que todos passam por dificuldades.

O professor de Direito Imobiliário da Escola Superior de Advocacia da OAB-RJ, Fabio Azevedo, aponta que "não existe pelo coronavírus uma autorização abstrata para o calote". Mas, caso seja provado que o locatário não tinha condições de pagar o aluguel do imóvel residencial ou comercial, em função da pandemia do novo coronavírus, o mais provável é que a Justiça decidisse a favor do inquilino, uma vez que a situação de desequilíbrio financeiro foi gerada por motivo de força maior.

— Contudo, o processo judicial é demorado e, saindo da quarentena, os efeitos da crise ainda serão diluídos por muitos meses, talvez anos. A judicialização só gera mais custos e mais prejuízos para os dois lados. O melhor é buscar uma solução consensual — avaliou Azevedo.


Clique na imagem para ampliar.


     


Fonte: revistapegn



Menu cadastros



Relacionadas   com   a   data:


25/03/2020 DELIBERAÇÃO DO COMITÊ EXTRAORDINÁRIO COVID-19 N° 019 / 2020 - MG - Dispõe sobre as medidas adotadas no âmbito do Sistema Estadual de Saúde, enquanto durar o estado de CALAMIDADE PÚBLICA em decorrência da pandemia causada pelo agente Coronavírus COVID-19, em todo o território do Estado.

25/03/2020 DELIBERAÇÃO DO COMITÊ EXTRAORDINÁRIO COVID-19 N° 018 / 2020 - MG - Dispõe sobre as medidas adotadas no âmbito do Sistema Estadual de Educação, enquanto durar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia causada pelo agente Coronavírus (COVID-19), em todo o território do Estado de Minas Gerais.

25/03/2020 DELIBERAÇÃO DO COMITÊ EXTRAORDINÁRIO COVID-19 N° 017 / 2020 - MG - Dispõe sobre medidas emergenciais de restrição e acessibilidade a determinados serviços e bens públicos e privados cotidianos, enquanto durar o estado de CALAMIDADE PÚBLICA

25/03/2020 DELIBERAÇÃO DO COMITÊ EXTRAORDINÁRIO COVID-19 N° 015 / 2020 - MG - Dispõe sobre a suspensão das atividades educacionais.

25/03/2020 DELIBERAÇÃO DO COMITÊ EXTRAORDINÁRIO COVID-19 N° 011 / 2020 - MG - Dispõe sobre a proibição do transporte interestadual coletivo de passageiros no território do Estado.

25/03/2020 DECRETO N° 47.894 / 2020 - MG - Altera o Decreto nº 47.611/2019, que regulamenta o recebimento de doação de bens móveis e serviços, sem ônus ou encargos, e o recebimento de bens em comodato pela Administração Pública direta, autárquica e fundacional do Poder Executivo e institui o Selo Amigo de Minas Gerais.

25/03/2020 RESOLUÇÃO N° 5.353 / 2020 - MG - Altera a Resolução nº 3.452/2003, que dispõe sobre o horário de trabalho no âmbito da Secretaria de Estado de Fazenda.

25/03/2020 Lojistas perdem R$ 2 bilhões com Covid-19 em Minas, e arrecadação de ICMS pode cair R$ 7,5 bilhões

25/03/2020 Desembargador concede justiça gratuita a vendedor considerando crise do coronavírus

25/03/2020 Coronavírus: inquilinos já tentam negociar suspensão e descontos no pagamento de aluguéis

25/03/2020 Estados não têm legitimidade para impor restrições a serviços essenciais, diz AGU

25/03/2020 Mais de 9 milhões de brasileiros ainda têm dinheiro esquecido banco

25/03/2020 Quem terá direito a vale de R$ 200 e como pedir?

25/03/2020 DEFIS: Com prazo apertado, programa apresenta instabilidades

25/03/2020 Aneel suspende por 90 dias cortes no fornecimento de energia elétrica



     




[« Voltar]   [Pagina inicial]
-  -

BAse refetente as cidades:

Araçai, Baldim, Conceição de Mato Dentro, Cachoeira da Prata, Congonhas do Norte, Cordisburgo, Corinto, Capim Branco, Caetanópolis, Diamantina, Datas, Funilandia, Fortuna de Minas, Felixlândia, Gouveia, Inimutaba, Inhaúma, Joaquim Felício, Jequitibá, Morro da Garça, Matozinhos, Monjolos, Presidente Juscelino, Presidente Kubitsckek, Pompeu, Paraopeba, Prudente de Morais, Sete Lagoas, Santana de Pirapama, Santana do Riacho, Santo Hipólito, Três Marias e Virgem da Lapa

Sindicato dos Contabilistas de Araçai, Sindicato dos Contabilistas de Baldim, Conceição de Mato Dentro, Sindicato dos Contabilistas de Cachoeira da Prata, Sindicato dos Contabilistas de Congonhas do Norte, Sindicato dos Contabilistas de Cordisburgo, Sindicato dos Contabilistas de Corinto, Sindicato dos Contabilistas de Capim Branco, Sindicato dos Contabilistas de Caetanópolis, Sindicato dos Contabilistas de Diamantina, Sindicato dos Contabilistas de Datas, Sindicato dos Contabilistas de Funilandia, Sindicato dos Contabilistas de Fortuna de Minas, Sindicato dos Contabilistas de Felixlândia, Sindicato dos Contabilistas de Gouveia, Sindicato dos Contabilistas de Inimutaba, Sindicato dos Contabilistas de Inhaúma, Sindicato dos Contabilistas de Joaquim Felício, Sindicato dos Contabilistas de Jequitibá, Sindicato dos Contabilistas de Morro da Garça, Sindicato dos Contabilistas de Matozinhos, Sindicato dos Contabilistas de Monjolos, Sindicato dos Contabilistas de Presidente Juscelino, Sindicato dos Contabilistas de Presidente Kubitsckek, Sindicato dos Contabilistas de Pompeu, Sindicato dos Contabilistas de Paraopeba, Sindicato dos Contabilistas de Prudente de Morais, Sindicato dos Contabilistas de Sete Lagoas, Sindicato dos Contabilistas de Santana de Pirapama, Sindicato dos Contabilistas de Santana do Riacho, Sindicato dos Contabilistas de Santo Hipólito, Sindicato dos Contabilistas de Três Marias e Sindicato dos Contabilistas de Virgem da Lapa.

SINCONSETE/MG

SINDICATO DOS CONTABILISTAS, CONTADORES, TÉC. EM CONTABILIDADE E DE EMPREGADOS EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE, AUDITORIAS E PERÍCIAS CONTÁBEIS DE SETE LAGOAS E REGIÃO – SINCONSETE/MG, CNPJ nº 21.012.943/0001-04. CODIGO SINDICAL: 921.012.188.01315-7




SEDE SOCIAL / SALÃO DE EVENTOS

Rua Espinosa, 385 Padre Teodoro - MG CEP 35.702-122







..

Desenvolvido por: Geraldo junio -