-

Parceiros e convênios Sinconsete
SINCONSETE
SINCONSETE
SINCONSETE

 

E V E N T O


-

Receita Federal amplia punições a grandes devedores

08/11/2018



   

A Receita Federal atualizou a lista de medidas que podem ser tomadas contra devedores submetidos às chamadas “Cobranças Administrativas Especiais”, que abrangem valores superiores a R$ 10 milhões. A partir de agora, empresas que estão sujeitas a estas cobranças, caso não regularizem tais pendências com o Fisco, poderão ser excluídas do Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), instituído pela Lei nº 13.496, de 24 de outubro de 2017.

A novidade, presente na Portaria RFB nº 1.653/2018 e publicada no Diário Oficial da União de segunda-feira (05/11), é uma nova série de medidas a serem tomadas contra o contribuinte devedor nesta categoria. As alterações engrossam a extensa lista de punições previstas no artigo 2º da Portaria RFB nº 1.265/2015, que regulamenta os procedimentos desse tipo específico de cobrança.

A legislação interna da Receita Federaldefine que a Cobrança Administrativa Especial é voltada aos débitos “que estejam na condição de exigíveis, cujo somatório, por sujeito passivo, seja igual ou maior que R$ 10 milhões”.

Estes valores, quando não regularizados pelo seu devedor, estão passíveis de 25 medidas administrativas diferentes, que vão desde atitudes genéricas, como a aplicação de uma multa isolada, no valor de 50% do valor devido ou representação em bancos públicos para não liberação de créditos futuros, passando por punições específicas, como a exclusão do contribuinte de parcelamento e do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut).

A nova portaria traz mais três medidas que a Receita Federal poderá adotar caso a dívida sujeita à Cobrança Administrativa Especial não seja saldada. O inciso XXVII prevê a cassação do registro especial a que estão obrigados os fabricantes e importadores de cigarros, sendo específica ao seu setor.

Cabe destacar que o pleno do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria de votos no RE 550.769, decidiu que o não cumprimento de obrigação tributária prevista em tal decreto pode ser uma hipótese válida para cassação de registro especial para os fabricantes e importadores de cigarro, desde que observados certos parâmetros, como de relevância quanto ao montante do débito exigido, de razoabilidade e de proporcionalidade”, lembrou o sócio do FNGV Advogados, Fábio Geribello, remontando ao caso julgado em 2013 pela Suprema Corte.

O contribuinte, caso seja um ente federativo, também pode ser impedido, pelo inciso XXVIII, de receber as chamadas “transferências voluntárias”

A previsão consta no artigo 25 da Lei Complementar nº 101/2000, a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A mais abrangente das medidas é a chance de exclusão do Pert. Com isso, empresas que aderiram ao programa precisam também encaminhar o pagamento dos débitos com a Receita Federal, sob pena de perder os benefícios previstos pelo programa.

A exclusão do Pert vem seguindo os incisos que tratavam do Parcelamento Especial (Paes), do Parcelamento Excepcional (Paex) e do Programa de Recuperação Fiscal (Refis)”, lembrou o tributarista Allan Fallet, apontando os incisos II, III e IV do mesmo artigo.

O advogado lembra, porém, que o novo inciso sobre o Pert pode gerar uma insegurança jurídica relevante aos contribuintes, uma vez que a exclusão sem o prévio direito à defesa poderia ferir o previsto na própria lei do programa, de nº 13.496/2017. Esta exclusão sumária também não estaria prevista, segundo Allan Fallet,  na instrução normativa (IN) que regulamenta o Pert, a 1711/2017.

O contribuinte pode ser excluído do Pertpor quaisquer outros créditos tributários que ele ou não tenha conhecimento, ou que não atendam os critérios [da Cobrança Administrativa Especial],lembrou Fallet. “O parcelamento foi criado para ajudar a empresa. então, quando você cria uma nova sanção, na verdade você está atrapalhando o contribuinte, ao excluí-lo do programa e aplicando nova penalidade.




Clique na imagem para ampliar.


     


Fonte: .



Menu cadastros



     




[« Voltar]   [Pagina inicial]
-  -

BAse refetente as cidades:

Araçai, Baldim, Conceição de Mato Dentro, Cachoeira da Prata, Congonhas do Norte, Cordisburgo, Corinto, Capim Branco, Caetanópolis, Diamantina, Datas, Funilandia, Fortuna de Minas, Felixlândia, Gouveia, Inimutaba, Inhaúma, Joaquim Felício, Jequitibá, Morro da Garça, Matozinhos, Monjolos, Presidente Juscelino, Presidente Kubitsckek, Pompeu, Paraopeba, Prudente de Morais, Sete Lagoas, Santana de Pirapama, Santana do Riacho, Santo Hipólito, Três Marias e Virgem da Lapa

Sindicato dos Contabilistas de Araçai, Sindicato dos Contabilistas de Baldim, Conceição de Mato Dentro, Sindicato dos Contabilistas de Cachoeira da Prata, Sindicato dos Contabilistas de Congonhas do Norte, Sindicato dos Contabilistas de Cordisburgo, Sindicato dos Contabilistas de Corinto, Sindicato dos Contabilistas de Capim Branco, Sindicato dos Contabilistas de Caetanópolis, Sindicato dos Contabilistas de Diamantina, Sindicato dos Contabilistas de Datas, Sindicato dos Contabilistas de Funilandia, Sindicato dos Contabilistas de Fortuna de Minas, Sindicato dos Contabilistas de Felixlândia, Sindicato dos Contabilistas de Gouveia, Sindicato dos Contabilistas de Inimutaba, Sindicato dos Contabilistas de Inhaúma, Sindicato dos Contabilistas de Joaquim Felício, Sindicato dos Contabilistas de Jequitibá, Sindicato dos Contabilistas de Morro da Garça, Sindicato dos Contabilistas de Matozinhos, Sindicato dos Contabilistas de Monjolos, Sindicato dos Contabilistas de Presidente Juscelino, Sindicato dos Contabilistas de Presidente Kubitsckek, Sindicato dos Contabilistas de Pompeu, Sindicato dos Contabilistas de Paraopeba, Sindicato dos Contabilistas de Prudente de Morais, Sindicato dos Contabilistas de Sete Lagoas, Sindicato dos Contabilistas de Santana de Pirapama, Sindicato dos Contabilistas de Santana do Riacho, Sindicato dos Contabilistas de Santo Hipólito, Sindicato dos Contabilistas de Três Marias e Sindicato dos Contabilistas de Virgem da Lapa.

SINCONSETE/MG

SINDICATO DOS CONTABILISTAS, CONTADORES, TÉC. EM CONTABILIDADE E DE EMPREGADOS EM ESCRITÓRIOS DE CONTABILIDADE, AUDITORIAS E PERÍCIAS CONTÁBEIS DE SETE LAGOAS E REGIÃO – SINCONSETE/MG, CNPJ nº 21.012.943/0001-04. CODIGO SINDICAL: 921.012.188.01315-7

ATENDIMENTO

Rua João Andrade, 453, São Geraldo, Sete Lagoas- MG CEP 37.700-178 / Horário 7:00 as 11:00 e 12:30 as 17:00 de Seg. a Sex.
E-mail sindicato_dos_contabilistas@yahoo.com.br / -
Telefone(s):(31) 3771-9873 Geraldo Ramos




SEDE SOCIAL / SALÃO DE EVENTOS

Rua Espinosa, 385 Padre Teodoro - MG CEP 35.702-122







..

Desenvolvido por: Geraldo junio - 8808-3206 - ops_gerald@yahoo.com.br